sábado, 26 de novembro de 2011

Segundo capítulo

                                              Marcas do Passado

                                                    Capítulo: 2



                                                                                                                          (29/11/11)

                                                                Novela de William Costa                                                                      


Cena 1 / Casa de Marcos / Sala / Interior / Noite


Continuação imediata da última cena, do capítulo anterior.

Marcos – Então Lavínia? Eu estou esperando uma resposta!

Neste momento Marcos está parado em frente a ela.

Lavínia – Bom... Eu não queria lhe contar, para não lhe dar esperanças falsas, mas já que você insiste!

Lavínia não consegue o encarar nos olhos.

Marcos – Vamos Lavínia! Chega de enrolação! ONDE VOCÊ ESTAVA E COM QUEM?!

Lavínia – Não grita Marcos, por favor?!

Marcos – Vamos Lavínia, está demorando por quê? Para pensar em uma mentira qualquer?!

Lavínia – Não, Marcos! Não é isso! Eu fui a um médico... Procurar um tratamento para 
engravidar, mas que queria que fosse surpresa!

Marcos – tratamento?

Seu tom de voz muda.

Lavínia – Sim, por isso eu menti!

Marcos – Me desculpa, mas eu fiquei muito bravo, eu pensei que...

Lavínia – Que eu tinha outro Marcos? É isso? Você não confia mais em mim?!

 Lavínia percebendo que já controlara a situação consegue encarar o marido.

Marcos – Não é isso...

Cena 2 / Pensão / Frente / Externo / noite.

Melissa – Foi um prazer lhe conhecer Bianca, vamos meninos? Ainda temos que ensaiar hoje!

Despedindo-se da nova amiga, com dois beijos no rosto.

Renato – Vão indo, eu vou me despedir da Bianca e encontro vocês em seguida!

Cristiano – Até qualquer hora Bianca, com certeza nos veremos muito, já que você está hospedada ao lado do nosso teatro!

Bianca – Claro!

Renato – Então, lhe conheço há um dia e parece que já a conheço há séculos!
 Aproximando-se dela.

Bianca – A reciproca é verdadeira meu caro!

Renato – Eu não vou lhe deixar em paz não garota!

Bianca – Me deixar em paz? Quem disse que eu quero isso?!

Os dois se beijam.

Renato – Me desculpe, eu não...

Bianca - Não ouse me pedir desculpas Renato!

Os dois se beijam novamente.

Cena 3 / Rua / Externo / noite

Mostra a cidade do Rio de Janeiro.

Cena 4 / Rua / Externo / noite.

Leandro – Então essa é a famosa cidade do Rio de Janeiro?

Ao longe ele avista uma mulher, parada em frente ao um carro e se aproxima.

Leandro – Algum problema senhora?!

Lídia – Que susto rapaz! Não, não há problema algum aqui!

Leandro – Me desculpe, é que de onde eu venho ver uma mulher parada em frente ao um carro...

Lídia – Pode, por favor, me dar licença? Não estou com problema, apenas esperando meu motorista!

Leandro – Tudo bem, me desculpe, não queria lhe incomodar!

Leandro se vira para ir embora, mas sua mochila rasga no fundo e uma de suas obras cai aos pés de Lídia.

Lídia – Nossa, que lindo! Você vende? Quem é o artista?

Segurando uma das obras de Leandro na mão.

Leandro – Sim eu vendo senhora e o artista sou eu mesmo!

Lídia – Muito interessante!

Leandro – Vindo da senhora, eu só posso agradecer!

Lídia – Me desculpe, eu foi grossa com você, mas é noite já e essa cidade é perigosa!

Leandro – Não foi nada!

Lídia – De qualquer forma, se você vende essa eu quero para mim, quanto?!

Leandro – Não, no momento eu não vou vender, vou fazer uma exposição, sua presença será de suma importância!

Lídia – Me diga quando e irei!

Leandro – Isso eu anda não sei, me passe seu telefone e lhe ligo avisando!

Lídia – Estás louco?! Nem lhe conheço!

Leandro – Nossa! Voltou a ser grossa!

Lídia – Você foi abusado!

Leandro – Eu já vou indo, não quero mais atrapalhar sua noite!

Leandro vai embora, mas continua olhando para trás, encantado com a mulher de pouco mais de 40 anos que ele acabara de conhecer.

Cena 5 / amanhece

Mostra a o dia raiando – em seguida a praia.

Cena 6 / Casa de Roberto / Quarto / Interior / Manhã

Mostra a casa de Roberto.

Roberto – Estou pensando em nos mudarmos, o que acha?

Lídia – Para que? O que tem errado nesta casa?

Roberto – Nada, mas estamos com uma situação financeira muito melhor, nada mais justo do que comprarmos uma mansão nos jardins!

Roberto indo para em direção ao banheiro.

Lídia – Querido, parece que você está se esquecendo de que é apenas o diretor presidente do grupo, não és o dono!

Roberto retornando do banheiro

Roberto – E você se esquece de que tenho ações no grupo e que ganho um excelente salário, alias esquece não sei como, já que é dele que você leva essa vida de rainha!

Lídia – É o mínimo que você pode fazer não acha?

Roberto – Por quê?!

Lídia – Como por quê?! Por que você me tirou da casa dos meus pais, prometendo-me amor e o que eu tive nesses anos de casamento foi apenas um marido que só pensa no trabalho!

Roberto – Você e seus argumentos... Sinceramente, eu já não aguento mais isso!

Lídia – Pois eu digo o mesmo, não me separo por que tenho dois filhos pequenos!

Roberto – Bom, sendo assim eu vou para o meu trabalho, para poder lhe dar dinheiro, para que você crie os seus filhos! –pega sua maleta e sai do quarto.

Roberto sai.

Lídia começa a pensar inesperadamente no rapaz que conhecera noite passada.

            Primeiro Intervalo Comercial



Cena 7 / Casa de Marcos / Sala de jantar / Interior / Manhã


Marcos – Então meu amor, dormiu bem?

Lavínia – Magoada, muito magoada!

Marcos – Eu já lhe pedi desculpas, o que quer que eu faça? Aumente o limite do seu cartão?

Lavínia – Não seria uma má ideia!

Marcos – Pronto, aumentamos seu limite em...

Lavínia – 100%!

Marcos – 100 % ?!

Lavínia – Sim, você me deixou muito feliz e está desculpado!

Marcos – E com certeza um pouco mais pobre também! Mas vamos falar da sua consulta!

Lavínia – Consulta? Que consulta Marcos?

Marcos – Como que consulta?

Lavínia – Háa a de ontem? Foi apenas uma conversa!

Marcos – E o que médico disse? Será que eu vou poder realizar o sonho de ser pai?

Lavínia – Tudo indica que sim, é bem mais simples do que você imagina!

Marcos – E qual é o tratamento?!

Lavínia – Ele ainda não passou nada, nas próximas consultas só!

Marcos – Eu vou com você na próxima!

Lavínia – Não, não vai!

Marcos – Por quê?

Lavínia – Por que eu prefiro ir sozinha, depois mais adianta se precisa, se o problema for com você, ai sim nós vamos juntos!

Marcos – Se você prefere assim!


Cena 8 / Teatro / Coxia / Interior / manhã.

Renato – Eu estou encantado com ela, nunca senti nada parecido por ninguém!

Cristian – Percebe-se meu amigo, há dois dias que você só fala na Bianca!

Renato – Eu não posso fazer nada, eu penso nela 24 horas por dia, foi uma coisa mágica entende?

Cristian – Entendo! Coisa de novela  vamos dizer assim!

Renato – É isso, coisa de novela, só que real!

Cristian – Tá, mas vamos falar sobre trabalho agora, pintou um teste na emissora Carioca!

Renato – Mentira?

Cristian – É a nossa chance meu caro!

Renato – Nossa, eu não posso nem me imaginar em uma emissora como a carioca!

Cristian – Pois é, mas é o que pode acontecer, claro se o seu amor juvenil deixar NE?! 

Os dois começam a rir.

Cena 9 / Casa de Marcos / Jardim / Piscina / Externo / Manhã

Mostra a casa em seguida o jardim.

Lavínia – Você não imagina quem apareceu ontem no restaurante Felipe... Alice, justamente Alice...

Caminhando de um lado para o outro. 
...

Lavínia – Como assim o que tem? Eu disse ao Marcos que estaria com ela, quando na verdade eu não a via a mais de vinte dias!

....
Lavínia – Não eu consegui contornar a situação, não sei de onde eu tirei... Vou desligar Alice está chegando aqui, mais tarde nos falamos. Te amo!

Alice – Amiga quanta saudade!

As duas s abraçam.

Lavínia – Ai Alice que raiva de você, como ousa voltar e não me avisa?

Alice – Ai querida esqueci, e pelo jeito está assim brava, por causa da mancada não é?

Lavínia – Lógico Né? Você podia ter pensado um pouquinho, quando ele perguntou por mim!

Alice – Amiga você sabe que pensar nunca foi o meu forte não é mesmo?

Lavínia – AI Alice para, o pior é que nem brava da para ficar com você!

As duas riem.

Alice – Pelo jeito ainda está de caso com aquele garçom! Lavínia já lhe disse antes, largue esse cara agora, antes que o Marcos descubra tudo e você fique na Miséria! Deus me livre ter uma amiga pobre! 

Lavínia – Para Alice, ele nunca vai descobrir nada, eu contornei a situação usando o maior sonho dele, ser pai!

Alice – Está ai, boa pergunta e se você engravida desse tal de Felipe? Como vai ser?

Lavínia – Isso não vai acontecer nos tomamos todas as precauções e caso aconteça eu disse que estou fazendo um tratamento e digo que o problema era comigo, simples!

Alice – Não se esqueça de que o Marcos não tem nada de bobo!

Lavínia – Tá, tá chega! Vamos falar de coisas boas, ele aumentou meu limite em 100 %, tá bom para você ou quer mais?

Alice – E o que é que estamos fazendo paradas na beira dessa piscina que ainda não fomos para o shopping?!  

Alice levanta e pega e bolsa.


Cena 10 / Centro / Rua / Externo / tarde

Lídia caminha com sua sacola em direção ao carro estacionado em uma Rua de Copacabana, quando um garoto passa correndo e rouba sua bolsa.

Lídia – SOCORRO, SOCORRO MINHA BOLSA!

Leandro que caminhava pela calçada vê e corre atrás do garoto. O garoto cai e com medo sai correndo deixando a bolsa de Lídia para trás.
Leandro volta para onde Lídia está.

Leandro – Você tem que tomar mais cuidado sabia? Eu que não sou daqui sei que a cidade é perigosa!

Lídia – Eu sei os perigos dessa cidad... Espera ai, você é...

Leandro – Sim o homem que tentou lhe ajudar ontem e a senhora foi grossa!

Lídia – Me Deus que vergonha... Desculpe-me por ontem, por favor?!

Leandro – Com uma condição!

Lídia – Que condição?

Leandro – Além de eu lhe desculpar por ontem e como recompensa por ter salvado sua bolsa hoje...

Lídia – Que isso? Você tá querendo dinheiro? 
Leandro – Claro que não, posso terminar?! Tome um suco comigo e eu pago!

Lídia – Há me desculpe de novo... Suco? Não sei, eu nem lhe conheço!

Leandro – Mas eu salvei sua vida praticamente, garanto que não sou um assassino em série!

Lídia – Um belo argumento, tudo bem, vamos então!

Os dois caminham em direção ao um bar perto de onde o carro de Lídia está parado.


Cena 11 / Rio de Janeiro / Anoitece

Cenas de por do sol.

Cena 12 / Casa de Roberto / Sala / Interior / Noite.

Roberto – Quem era aquele com quem você conversa hoje à tarde?

Lídia – Estás me seguindo agora?

Largando a bolsa em cima da mesa de centro.

Roberto – Não, passei por um bar e me deparo com minha esposa rindo ao lado de outro homem!

Roberto se levanta e se aproxima da esposa.

Lídia – Há eu ainda sou sua esposa? Achei que você não se importaria, afinal eu não tenho nada a ver com o grupo San Martino!

Roberto – Não fuja do assunto Lídia, eu lhe fiz uma pergunta e quero uma resposta concreta!

Lídia – Apesar de eu não lhe dever satisfação alguma, aquele homem, com que eu estava rindo, foi o homem que me salvou de um ladrãozinho qualquer, por que o meu marido não estava lá para me defender!

Roberto – Não precisaria da ajuda de outro homem se ficasse dentro de casa, fazendo as tarefas de uma dona de casa!

Lídia – Bom Roberto pense o que quiser!


Lídia vai para o Quarto.



         Segundo Intervalo Comercial

Cena 13 / Teatro / Frente / Externo / Noite.

Melissa – O que você está me dizendo? Um teste na carioca ? Você tem noção do que é isso?

Cristian – Sim! Eu tenho, e nós temos que conseguir!

Melissa – É a maior chance da minha vida, e que tipo de cena será? Vamos escolher? Tenho que ensaiar!

Cristian – Será improviso, eles nos darão um tema e os cinco melhores entram no elenco!

Melissa – Cristian, Cristian eu... Eu tenho que conseguir, você tem noção do quanto eu lutei para chegar aqui? Eu briguei com os meus pais, eu larguei tudo em São Paulo para correr trás do meu sonho!

Cristian – Nós vamos conseguir você então, além de talentosa é linda!

Melissa – Eu sou o que Cristian?

Cristian – Linda, eu te acho linda desde o primeiro dia em que te vi!

Os dois se beijam.

Melissa – Que foi isso?

Cristian – Uma coisa que eu queria fazer a muito tempo e você pelo jeito... também!

Os dois se beijam novamente.

Cena 14 / Boate / Salão / Interior / Noite.

 Leandro encontra Maira em uma festa.

Leandro – Olá?

Leandro se senta a mesa de Maira.

Maíra – Oi, lhe conheço?

Leandro – Não, mas podemos nos conhecer!

Maíra – Nossa então vamos lá comece me dizendo o seu nome!

Leandro – Leandro Silva, ao seu dispor!

Maíra – Maíra Florence de Albuquerque

Leandro – Aceita uma bebida?

Maíra – Claro, vamos dançar?

Cena 15 / Restaurante de Marcos / Salão / Interior / Noite.

Marcos – Amor, sentamos aqui!

Marcos faz um gesto chamando o garçom.

Felipe – Já sabem o que vão pedir ou querem o cardápio?

Marcos – é óbvio que queremos o cardápio Felipe, não é por que sou o dono que não tenho direito de olhar cardápio!

Lavínia – Calma! Marcos, ele estava brincando!

Marcos – Brincando? Aqui não é lugar para brincar! Vamos me traga o prato do dia, e rápido!

Lavínia – Não precisava ter falado com o rapaz assim Marcos!

Marcos – É assim que se trata empregados, ainda mais como este ai, é um folgado!

Lavínia – Sempre que venho aqui o vejo trabalhando, acho que isso é implicância sua meu amor!

Na cozinha.

Felipe – Já está pronto o prato do doutor marcos?

Chefe – Sim, leve estes dois!

Felipe – Perfeito – ele pega os pratos e cospe em um deles-.

Já no salão novamente.

Felipe – Aqui está o seu, doutor Felipe, do da senhora dona Lavínia!

Lavínia – Obrigada!

Felipe – Mais alguma coisa?

Marcos – Pode ir depois eu lhe chamo!

Felipe – Sim senhor!

Marcos – E a sua próxima consulta? Já sabe quando será?

Lavínia – Semana que vem Marcos!

Marcos – Um filho, você sabe que vai me fazer o homem mais feliz do mundo não sabe?

Felipe escuta e derruba uma bandeja em cima de um cliente.

Marcos – O que VOCÊ ESTÁ FAZENDO CRIATURA?

Lavínia – Fala baixo Marcos, pelo amor de Deus, não piora a situação.

Marcos se dirige a cliente e pede desculpas.

Marcos – Felipe, depois do expediente passe na minha sala!

Felipe – Sim senhor!

Marcos volta a sua mesa.

Lavínia – O que você vai fazer com o rapaz?

Marcos – O que eu já devia ter feito há muito tempo: Demiti-lo!

Lavínia – Demiti-lo? Por uma bobagem dessas? Não, você não vai fazer isso!

Marcos – Como assim não vou? Ou melhor, por que proteger esse rapaz?

Lavínia – Não é proteger Marcos, só não acho certo você demiti-lo por uma bobagem!

Marcos – Tudo bem faço isso por que você está pedindo, mas da próxima vez, eu o demito no meio do salão!


         Terceiro Intervalo Comercial


Cena 16 / Boate / Salão / Interior / Noite

Leandro e Maíra conversam ao pé do ouvido.

Leandro – Você namora?

Maira – Não, não e você?

Leandro – Não, mas... Bom deixa para lá!

Maira – Pelo seu sotaque percebo que você não é do Rio!

Leandro – Não, sou do Bahia!

Maira – E veio fazer o que aqui no Rio?

Leandro – Sou artista plástico, e vim para cá em busca de patrocínio!

Maira – Patrocínio? Eu vou te dar um cartão, amanhã você me liga e nós marcamos um encontro com meu pai!

Leandro – Sério isso?

Maira – Claro, eu só espero que os seus trabalhos sejam bons!

Cena 17 / Restaurante de Marcos / Sala da gerência / Interior / Noite

Felipe bate na porta e entra.

Felipe – O senhor pediu que eu viesse aqui depois do expediente!

Marcos – Sim, eu ia lhe demitir, pelo incidente de hoje e por outras questões!

Felipe – MAS...

Marcos – Cala a boca por que eu ainda não terminei! Mas  a pedido da minha esposa, por ela achar que não foi nada tão grave eu vou lhe manter, aqui!

Felipe – Muito obrigado senhor!

Marcos – Mas saiba que da próxima, eu não vou esperar o fim do expediente, lhe demito na frente de todos!

Felipe – Não vai acontecer de novo doutor Marcos, eu lhe prometo!

Marcos – Assim eu espero!

Felipe – posso ir agora?

Marcos – Não, hoje você fecha o restaurante!

Felipe – Claro, como o senhor quiser!

Felipe já vai saindo quando:

Marcos – Mais uma coisinha, mande o pessoal ir embora e termine você o trabalho todo sozinho!

Felipe olha para ele.

Felipe – Tudo bem!

Marcos – Boa noite e bom descanso! 

Dois dias depois. 

Cena 18 / Casa de Roberto / Sala / Interior / Manhã

Telefone tocando.

Empregada – Residência dos Albuquerque!

Leandro – Eu gostaria de falar com Maira, por favor!

Empregada – Quem gostaria?!

Leandro – Diga que é Leandro!

A empregada vai até o quarto de Maira e bate na porta.

Maira – Entra!

Empregada – Telefone para a senhora!

Maira – Quem é?

Empregada – Leandro!

Maira – Há, pode ir eu atendo aqui!

 Imediatamente se senta e pega o telefone.

A empregada sai do quarto.

Maira – pensei que você não fosse ligar!

Leandro – Imagina, eu só não quis ser inconveniente!

Maira – Não está sendo, não se preocupe!

Leandro – Você chegou a falar com seu pai?

Maira – Falei sim, podemos conversar amanhã no almoço, o que acha?

Leandro – Por mim, está marcado!

Maira – Sabe onde fica o restaurante Mirangaba?

Leandro – Não sei nada aqui, mas eu descubro não se preocupe!

Maira – Está certo, só não se atrase, o meu pai não tolera atrasos!

Leandro – Pode deixar, estarei lá, meio dia em ponto!

Cena 19 / Bar / Interior / noite.

Renato e Bianca conversam.

Renato – Eu sei que pode parecer loucura, mas...

Bianca – Mas? Mas o que Renato?

Renato – Mas eu.. Eu estou completamente apaixonado por você!

Bianca – Mesmo me conhecendo a apenas a quatro dias?

Renato – Já disse, parece que eu te conheço há anos, é um sentimento tão forte, tão puro?

Bianca – Que lindo isso Renato!

Renato – Quer namorar comigo? Casar? Sei lá, qualquer coisa para ficar perto você!

Bianca – Namorar? Eu vim para essa cidade atrás do meu sonho de ser jornalista, e ainda não consegui nada, eu não estou preparada para um namoro firme ainda!

Renato – Você pode ter os dois, é bem mais fácil quando se tem alguém por perto!

Bianca – Eu gosto de você, mas um relacionamento sério agora... Não sei pode atrapalhar!

Renato – Eu não vou desistir de você não. Lembre-se que eu disse que não ia lhe deixar em paz!

Bianca – Vamos ficar assim como está, está tão bom, mais para frente se tudo certo quem sabe!


Cena 20 / Casa de Marcos / Sala / Interior / Noite.

Alice e Lavínia conversam.

Lavínia – Você não tem ideia da confusão que foi!

Alice – Imagino amiga, ai eu queria ser você sabia!

Lavínia – Por que criatura?

Alice- É tão excitante, jantar com o marido e o garçom ser amante!

Lavínia – Você é completamente doida, só pode ser!

Alice – Há, mas vai dizer que não? Aposto que você foi ao banheiro e deu um amasso nele!

Lavínia – Você está louca Alice? No restaurante do meu marido!

Alice – Ai eu ainda me caso, só para ter um amante!

Lavínia – Você não presta!

Alice – Não presto mesmo!

         Quarto Intervalo Comercial.

Dia Seguinte.

Cena 21 / Restaurante de Marcos / Salão / Interior / Manhã.

Roberto e Maira entram no restaurante.

Marcos – Roberto? É um prazer recebe-lo novamente!

Roberto – Como vai Marcos? E Lavínia?

Marcos – Está bem, em casa!

Maira – Vamos papai?

Roberto – Estamos esperando um convidado, Leandro o nome dele, assim que chegar peça que um dos seus garçons o acompanhe até nossa mesa, por favor!
Marcos – Se é seu convidado eu mesmo farei questão de acompanha-lo!

Eles vão para a mesa.

Roberto – Só espero que esse rapaz não se atrase!

Maira – Não papai, ele não vai se atrasar!




Cena 22 / Pousada /Frente / Exterior / Manhã

Melissa encontra Bianca saindo da pousada.

Melissa – Bianca?

Bianca- Melissa? Tudo bom?

A duas se cumprimentam.

Melissa – Sim, meio nervosa, tenho um teste para fazer na Carioca essa semana!

Bianca – Sério? Vou lá hoje entregar meu currículo, quem sabe a sorte não sorri para mim não é?

Melissa – Tomara, já pensou, nós quatro na carioca?

Bianca – Ia ser de mais mesmo!

Melissa – O que houve? Você não me parece muito animada!

Bianca – Não com a oportunidade de levar o currículo está tudo ótimo é que hoje o Renato conversou comigo e...

Melissa – Lhe pediu em namoro, ele nos contou! Acho uma bobagem você não aceitar!

Bianca – Ai eu fico... Fico muito na duvida, eu gosto dele, acho ele lindo, romântico, e tudo mais, mas eu não vim para cá para isso, eu vim para o Rio m busca de uma vida melhor, de poder ajudar meu pai!

Melissa – E por causa disso não pode viver um amor?

Bianca – Não nesse momento!
Melissa – Vamos até o café aqui da esquina?

Bianca – Não vai dar, tenho que correr e entregar esse currículo hoje ainda!



Cena 23 / Restaurante de Marcos / Salão / Interior / Manhã

Leandro chega ao restaurante.

Marcos – Bem vindo, tem reserva conosco?!

Leandro – Na verdade há um senhor me esperando!

Marcos – Roberto Albuquerque?

Apontando para a mesa de Roberto.

Marcos – Sim!

Marcos – Eu mesmo lhe levo a mesa deles!

Os dois andam em direção à mesa.

Marcos – Doutor Roberto? Seu convidado acaba de chegar!

Roberto – Obrigado Marcos. Sente-se Leandro!

Leandro – Com licença!

Marcos – Posso mandar o garçom servir uma bebida?!

Roberto – Ainda não, quando precisarmos eu chamo!

Marcos – Bom, com licença, me deixa ver como andam as coisas na cozinha!

Roberto – Vamos aos negócios senhor Leandro!

Leandro – Claro!

Roberto – O grupo que dirijo é um grande apoiador da arte e estávamos mesmo procurando um artista para patrocinarmos!

Maira – Eu não lhe disse Leandro?

Roberto – Maira mantenha-se calada, por favor!

Maira – Claro!

Roberto – Tem um catalogo alguma coisa que eu possa ver se realmente são interessantes suas obras?

Leandro – Tenho algumas fotos aqui!

Roberto pega as fotos e as analisa por um longo tempo.

Maira – Então papai? São boas mesmo?

Roberto – São... São espetaculares!

Devolve as fotos para Leandro.

Leandro – O senhor realmente gostou?!

Roberto – Rapaz, eu não costumo elogiar o que não gosto!

Leandro – Muito obrigado!

Roberto – Vamos financiar sua exposição!

Leandro – Jura?

Roberto – Eu também não costumo brincar com negócios, passe amanhã no meu escritório para acertamos tudo! Agora eu vou indo, vem comigo Maira?

Maira – Não, eu vou ficar mais um pouco, vou almoçar afinal foi para isso que vim aqui!




Cena 24 / Portão da emissora / Frente / Externo / Tarde

 Renato encontra Bianca indo para emissora.

Renato – É impressão minha ou você está me evitando?!

Bianca – não, claro que não!

Renato – Desde hoje quando eu te falei dos mus sentimentos você está estranha?

Bianca – Não claro que não, é muita coisa na cabeça eu tenho que ir entrega esse currículo, então...

Renato – Currículo? Viu uma novidade na sua carreira e você nem me falou!

Bianca – Surgiu de repente!

Renato – Eu estou sendo inconveniente não é mesmo?

Bianca – Sinceramente? Sim!

Para de caminhas subitamente.

Renato – Me desculpa, mas é que o que eu sinto por você é forte de mais!

Bianca – Nós já conversamos sobre isso Renato, por favor, não ínsita!

Renato – Tudo bem, mas será que pelo menos posso aguardar você aqui, para depois lhe acompanhar em casa?

Bianca – Pode né!




Cena 25 / Restaurante de Marcos / Salão / Interior / tarde



Leandro – A conta, por favor!

Felipe trás a conta e sai.
Leandro olha os números assustados.

Maira – Não se preocupe Leandro, o almoço é por minha conta!

Leandro – Olha eu não vou nem me fazer de orgulhoso, por que nem querendo eu teria como pagar essa fortuna!

Maira – De qualquer forma foi um convite e dá próxima, quando você for um grande artista plástico, conhecido, você me paga um almoço, ou melhor, um jantar!

Leandro – Certo, ficamos combinados assim então!



Dia seguinte.


 Cena 26 / Escritório de Roberto / Sala / Interior / Manhã

                                                                               

Roberto – Vejo que realmente é pontual, sente-se!

Olhando para o relógio.

Leandro – Obrigado!

Roberto – Bom, vamos ao que interessa, tempo é dinheiro!

Leandro – Claro!

Roberto – Eu posso lhe disponibilizar 25 mil, vamos precisar do local, de um Buffet para o coquetel e claro, chamar um fotografo e a imprensa!

Leandro – Tudo isso?!

Roberto – Você só precisa ter muitas peças e assinar este contrato!

Leandro – Aqui?!

Roberto – Isso!

Leandro – podemos começar os preparativos?

Roberto – Ainda hoje, já tenho o local e o Buffet!

Leandro – Certo! Eu já tenho muitas peças também!

Roberto – Perfeito! Então mãos a obra por que em 15 dias eu quero essa exposição pronta!

Os dois apertam a mão.


Cena 27 / Casa de Roberto / Sala / Interior / Tarde

Lídia e Maira conversam.

Maira – Mãe ele é lindo, é talentoso...

Lídia – Mas pelo que me contou, não tem dinheiro?

Maira – Não mãe, nada!

Lídia – Então pode tirar seu cavalinho da chuva, por que o seu pai jamais vai aceitar isso!

Maira – Mas ele está ajudando o rapaz, o papai não é esse monstro que você pinta mamãe!

Lídia – Meu bem, ele está fazendo isso para ser descontado no imposto de renda!

Maira – Mas de qualquer forma, ele está o ajudando!

Lídia – Mas só está fazendo isso pela empresa, pelo grupo, para pagarem menos no imposto!

Maira – Ai mamãe não dá para conversar com você mesmo!

Lídia – Maira volte aqui!

Olhando a filha se afastar.


Cena 28 / Casa de Marcos / Jardim / Piscina / Tarde


Lavínia – Nossa que calor!

Marcos se aproxima dela.

Lavínia – Nossa que cheiro é esse Marcos?!

Marcos – Cheiro? Que cheiro?!

Lavínia – Credo sai de perto de mim é o seu perfume!

Marcos – Mas é o meu perfume de sempre!

Lavínia vomita.


       Fim do Capítulo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário